NEGO MIRANDA

fotografia

Anjos da Kalunga

“Ô meu senhor das almas
Não faça pouco de mim
Eu sou tão pequenino
Eu sou Exú-Mirim

Eu sou preto, preto, preto
Do cabelo pixaim
Pra ninguém fala meu nome
Pra ninguém chamar por mim”